quinta-feira, 22 de junho de 2017

Uma declaração de amor

Com violino, com piano e com essa letra maravilhosa...essa declaração de amor eu tive que guardar aqui no Minestra, porque me emocionei muito!
Te amo Rafael Gonçalves, obrigada por fazer a minha vida tão incrível! ❤

terça-feira, 16 de maio de 2017

"Uma Coisa é o que Outra Não é"

Dá-me a graça
deste amor simples.
Sintonia de ideias,
mesma sinapse,
mesmas referências
Sintonia
Harmonia
Não conseguimos
ficar longe
Não conseguimos
ir embora
Não conseguimos
nos despedir
no despir
pegamos fogo!
Pisca teus olhos
suavemente
tua voz é leve
é suave.
Esquece tua fala
mas não falha,
nosso cérebro é um só
nosso coração é um só
o mesmo órgão
em corpos diferentes
idênticos de amor.
É mais que recíproco,
é compartilhamento simultâneo.
Já nos solidificamos
numa pessoa só.






"Estrangula a Dor"

Saudade de um certo abraço
que quase quebra minhas costelas,
de tão apertado,
que me estrangula.
Saudades desse abraço
todo meu, todo para mim,
que me protege,
que me emociona.
Saudades desse carinho
que é só teu,
que tu me dás.
Saudades de encontrar
meu coração com
teu coração,
minha alma com
tua alma.
Saudade de me transbordar nos teus braços!
Esses braços,
na minha cintura,
envolvendo minha alma,
aconchego, calor, carinho
Doce doce doce
saudades do meu Docinho.

Resultado de imagem para abraço wallpaper

segunda-feira, 1 de maio de 2017

"Agora Temos uma Data"

      
 Achei você, naquela noite, bem estranho. O dia todo esteve enigmático, falou pouco, esteve fechado. À noite não parei de perguntar se estava tudo bem, achei-o esquivo. 
        Você tentando agir normalmente. Quase não comeu. "Deve ter comido antes de sair", pensei. Convidou-me para tomar um açaí. "Deve estar entediado", pensei, "sair e tomar um ar vai fazer bem, talvez queira conversar algo". E fomos ao açaí. Eu ainda preocupada pensava:" será que começou a enjoar de mim?", mas o seu olhar contemplativo, você me admirando sem parar, poderia ter-lhe denunciado, mas eu nem desconfiei.
       Como do nosso primeiro encontro, após o açaí, fomos escutar a filarmônica na praça. Você fez questão de sentar-se no mesmo banco em que nos encontramos da primeira vez. Deu a desculpa de que aquele era melhor que os outros. Também nem desconfiei, e só percebi bem depois.
        Falamos sobre os planos do fim de semana. Falei do meu aniversário e de como estava triste pois não haveria comemoração. Tocando no assunto, você me disse que tinha para mim um  presente. Fechei os olhos e ao abri-los, ali estava, diante de mim, o pedido de namoro, a representação deste último mês, todo símbolo do nosso amor, que de tanto transbordar, de tão grande e inexprimível, concretizava-se em uma aliança.
       Linda, maravilhosa. Prateada, como que em ouro branco, mais larga que essas que se compra por aí, com uma textura dividida ao meio por um filete, toda trabalhada, com um coração e duas zircônias de enfeite. É certo que ficou um pouco larga em meu dedo, mas é possível regular, assim que gravarmos nossa data e nomes nelas, no dia de hoje.
         A repercussão que teve este dia em minha vida nunca mais esquecerei. Neste pequeno objeto tão lindo e reluzente está uma atitude mais maravilhosa ainda. Este pequeno objeto significa, de hoje em diante, tudo para mim. Símbolo de nosso amor, nosso carinho. Todo cuidado que teve em preparar a surpresa, fazendo-o de forma que nem desconfiei. Todo planejamento, escolha da data, do local e momento.
        Eu te amo, e este amor levo comigo neste pequeno objeto. Este amor levo comigo dentro do meu coração, nos beijos e abraços que te dou e nos carinhos que trocamos. Eu te amo imensuravelmente, meu docinho, você é o melhor presente que a vida podia ter me dado!



sexta-feira, 28 de abril de 2017

"Relacionamento Eclipsado"

     
Imagem relacionada

 Roubaram o sol. E eu, que estive esperando amanhecer para levantar, fiquei deitada, imaginando o horário de verão. Nenhuma luzinha lá fora, e ao mirar o relógio, já marcando nove horas, sobressaltei-me.
      Levantei com a responsabilidade do atraso, engoli um café requentado e vesti a roupa da véspera, na esperança de que aquela me trouxesse a iluminação do dia anterior. Nada. Resolvi abrir a casa, tirar a poeira, lavar algumas roupas. Quem sabe o brilho do sol não se enrolou nos macacos de poeira? Quem sabe pondo as roupas no varal o sol se anime e apareça? Não adiantou.
       Resolvi sair na rua, verificar se aquele fenômeno fantástico foi percebido apenas por mim ou se afetara o resto da cidade. Tudo escuro, inclusive, ausência de luz elétrica. Como é natural, os postes de luz apagam-se durante o dia. Uma ou outra lanterna de algum perdido, que assim como eu, procurava compreender aquela escuridão.
       Caminhei até a vizinha que também estava ali pela rua, e ao modo de quando se falta a luz elétrica no bairro, perguntei:
       - Na sua casa também faltou a luz?
       No que ela me respondeu:
      - Faltou desde a noite anterior. Diz que Fulano ligou na companhia de luz e força, e lá eles disseram que o sol foi roubado.
       O sol roubado. Como era possível? Fui falar com  o tal Fulano, que me informou o começo do tal acontecimento.
        Um jovem rapaz madrugava todo dia para assistir seu amor raiar junto com o sol. A moça era a luz que iluminava o sol e os dias. O que dava luz ao mundo era aquele amor, que o rapaz alimentava toda manhã. Aquela bola alaranjada que surgia no leste todo santo dia nada mais era que o coração apaixonado de um moço.
       Eis que nesse dia fatídico, o moço não madrugou. A moça escondeu seu brilho, o amor não nasceu nem cresceu. A companhia de luz e força indagou o moço sobre o motivo da discussão do casal. No Diário Oficial, finalmente saiu a nota do real motivo de tal apagão. A tal moça iluminada que fazia brilhar o sol perdeu o encanto pelo moço. O amor acabou. O brilho se foi. Ela apaixonou-se pela lua. O moço, de tristeza, escureceu o mundo e ascendeu com suas lágrimas as estrelas.
         Depois que o eclipse amoroso passou, o moço apaixonou-se pelo mar, reascendendo seu coração e devolvendo o sol ao mundo. Diz-se que se formos à beira da praia, encontraremos um moço de olhar apaixonado, admirando o brilho que o sol deixa suavemente nas ondas.
         Quanto a mim, voltei à velha rotina, e a partir do dia do eclipse, resolvi carregar minha própria luz. Vivo por aí, brilhando e juntando estrelas.

Resultado de imagem para mar wallpaper

"Agente Divisor"

A gente divide
os beijos e abraços,
a gente divide o lanche,
divide a noite,
divide a moto e o carro,
a gente divide os medos,
a gente divide os momentos,
divide o olhar, divide a voz,
a gente se divide e 
se complementa,
e se reinventa,
a gente divide a cena,
a gente divide a vida,
a gente não se divide,
a gente se intera!

Resultado de imagem para metade wallpaper

"Estou Simbolista"

Sinto-me simbolista
como há tempos já não era.
Quero segurar o tempo
nas mãos.
Nas tuas mãos
nos teus beijos
no teu tímido olhar.
Olhar
duas grandes jabuticabas
atrás de lindos cílios
que suavemente piscam.
Sinto-me simbolista,
apaixonada,
sinto-me sentindo sensações
que nunca mais havia sentido,
contigo.

Resultado de imagem para simbolismo