quinta-feira, 24 de março de 2011

Rola, rola poronguinho

Era uma vez um garotinho que tinha de visitar sua avó que morava do outro lado da floresta.
Quando ia saindo de casa sua mãe lhe disse:
-Tome muito cuidado meu filho, pois a floresta é muito perigosa e cheia de animais selvagens.
O garotinho, todo amedrontado seguiu sua viagem, pois estava morrendo de saudades de sua avó.Quando chegou no meio da floresta, o menino encontrou uma onça faminta que lhe disse:
-Ora, ora, chegou bem na hora do jantar! O que um menino indefeso como você faz sozinho aqui na mata?
E o garotinho, apurado respondeu:
-Não me coma, dona onça, que eu estou indo visitar minha avózinha e volto ainda hoje para casa!
E a onça disse:
-Então vou esperar você voltar para te engolir.
E assim o menino seguiu em frente. Logo adiante avistou um leão baio faminto que lhe disse:
-Ora, ora, chegou bem na hora do jantar! O que um menino indefeso como você faz sozinho aqui na mata?
E o menino novamente respondeu:
- Não me coma, seu leão baio, que estou indo visitar minha avózinha e volto ainda hoje para casa!
E o leão baio disse:
-Então vou esperar você voltar para te engolir.
E o menino continuou a andar até que encontrou um gato-do-mato faminto que lhe falou:
-Ora, ora, chegou bem na hora do jantar! O  que um menino indefeso como você faz sozinho aqui na mata?
E o menininho, outra vez disse:
-Não me coma, seu gato-do-mato, que estou indo visitar minha avózinha e volto ainda hoje para casa!
E o gato-do-mato falou:
-Então vou esperar você voltar para te engolir.
E o rapazinho continuou sua viagem até a casa de sua avó. Quando chegou lá, contou a ela tudo que havia acontecido, e esta, que era muito esperta teve uma idéia:
-Vou pegar um poronguinho e abrir uma portinha.Você, meu netinho, entra dentro dele e fecha a portinha.Quando for atravessar a floresta, deve dizer "rola, rola poronguinho! Rola, rola poronguinho!" e o poronguinho vai rolar até a sua casa, onde você estará em segurança.
A avó e omenino prepararam o poronguinho, e depois de se despedirem, o menino entrou no poronguinho, fechou a portinha e disse:
-Rola, rola poronguinho! Rola , rola poronguinho!
E o poronguinho saiu rolando e rolando, e entrou na mata. Um pouco adiante, o gato-do-mato estava só esperando o menino voltar para casa, para devorá-lo, enquanto brincava com seus três filhotes. O gato-do-mato viu o poronguinho rolando e rolando, e  parou-o para perguntar-lhe:
-Poronguinho, poronguinho, você não viu por aí um menininho assim, assim e assim?
E o menininho, de dentro do poronguinho respondeu:
-Não seu gato-do-mato, não vi.
E aproveitando que o gato-do-mato se distraiu, pegou um gatinho-do-mato e colocou-o dentro do poronguinho, dizendo em seguida:
-Rola, rola poronguinho! Rola, rola poronguinho!
E o poronguinho saiu rolando e rolando. Mais adiante, o leão baio esperava o menininho voltar para casa para devorá-lo, enquanto brincava com seus três filhotes. O leão baio viu o poronguinho rolando e rolando e parou-o para perguntar-lhe:
-Poronguinho, poronguinho,você não viu por aí um menininho assim, assim e assim?
E o menininho, de dentro do poronguinho respondeu:
-Não seu leão baio, não vi.
E aproveitando que o leão baio se distraiu, pegou um leãozinho baio e colocou dentro do poronguinho dizendo:
-Rola, rola poronguinho! Rola, rola poronguinho!
E o poronguinho saiu rolando e rolando.Um pouco mais à frente, a onça esperava o garotinho voltar para casa para devorá-lo enquanto brincava com seus três filhotes. A onça viu o poronguinho rolando e rolando e parou-o para perguntar-lhe:
-Poronguinho, poronguinho, você não viu por aí um menininho assim, assim e assim?
E o menininho, de dentro do poronguinho respondeu:
-Não dona onça, não vi.
E aproveitando que a onça se distraiu, pegou uma oncinha e colocou-a dentro do poronguinho dizendo logo em seguida:
-Rola, rola poronguinho! Rola, rola poronguinho!
E o poronguinho saiu rolando, e rolando.Chegou à casa do garotinho já de noite, onde sua mãe esperava preocupada. A mãe do garotinho viu o poronguinho rolando e rolando e parou-o para perguntar:
-Poronguinho, poronguinho, você não viu um menininho assim , assim e assim?
E de lá de dentro do poronguinho o menininho falou:
-Sou eu mamãe, sou eu! Seu filinho!
A mãe do menininho abriu a portinha do poronguinho e de lá saiu um gatinho-do-mato:
-Miau!
A mãe olhou o gatinho e disse:
-Ai, esse não é meu filinho! Será que o gato-do-mato o comeu?
Mas de dentro do poronguinho o menininho continuou a gritar:
-Sou eu mamãe, sou eu! Seu filinho!
A mãe do menininho abriu de novo a portinha do poronguinho, e de lá saiu um leãozinho baio:
-Rrrrrr...
A mãe olhou o leãozinho e disse:
-Ai, esse não é meu filinho! Será que o leão baio o comeu?
E dentro do poronguinho o menininho gritava:
-Sou eu mamãe, sou eu! Seu filinho!
A mãe do menininho abriu a portinha do poronguinho e de lá saiu uma oncinha:
-Grauuu
A mãe olhou a oncinha e disse:
-Ai, essa não é meu filinho! Será que a onça o comeu?
E o menininho gritou de dentro do poronguinho:
-Sou eu mamãe, sou eu! Seu filinho!
A mãe abriu a portinha do poronguinho uma última vez, e de lá saiu o seu filinho, que lhe contou toda a história do poronguinho.
No final, o garotinho convidou a oncinha, o leãozinho baio e o gatinho-do-mato para morar com eles, e sua mãe gostou muito.
Toda vez que o menininho queria visitar sua avó, lá se ia dentro do poronguinho a gritar:
-Rola, rola poronguinho! Rola, rola poronguinho!
Fim

História original contada por Cercy Cardoso Corrêa, meu anjo da guarda e falecida avó.
Por Purple Captain

Um comentário:

  1. Muita boa a história, Purple Captain! A gente vê muito escritores e poetas que querem reinventar as histórias infantis. Cada qual acha que descobriu a pólvora, infiltrando sua "genialidade" na estrutura do texto. Mas as histórias ficam artificiais, sem graça e às vezes sem sentido. Ou simplesmente idiotas.

    ResponderExcluir