sábado, 16 de abril de 2011

Contos dos Corteze - O Ratinho Zûlu e a Dona Chica

         Era uma vez um rato que vivia entre as tábuas de madeira de uma grande casa de campo de estilo vitoriano nas proximidades rurais da cidade do Cabo, África do Sul.Seu nome era Zûlu, e ele adorava cuidar da sua toca, fazendo todo mês uma troca completa da mobília.
       Um belo dia Zûlu percebeu uma movimentação estranha na casa e logo viu que  aquela balbúrdia se dava pelo fato de que um certo gato atirava um pau na Chica, a dona  da casa de campo.Aproveitando-se que dona Chica estava no hospital, o inocente ratinho foi cozinhar feijão, que era o prato preferido da Chica, e este acabou caindo dentro da panela.
     Assim que dona Chica voltou do hospital, com um baita curativo na testa, sentiu aquele cheirinho de feijão e correu logo para a panela, avistando ali o pequenino ratinho.Com grande asco dona Chica começou a chorar de desespero dirigindo-se para debaixo de uma planta de dendê.
        Dendê é uma planta que cura ratos queimados, mas a Chica-ca não sabia.De repente ficou sabendo e curou o rato.Dona Chica tentou-tou-tou curá-lo e comeu o feijão.O rato foi trocar a mobília.Ele mesmo fabricou seus móveis, sempre com classe e estilo, combinando com a casa.
       Num domingo, depois do culto, o rato recebeu visitas.Eram uns parentes que moravam longe, na França.O rato também era francês.Ele não poupou na decoração da casa, que brilhava e tinha um aroma de flores do campo.
       Só que o que ninguém suspeitava é que dona Chica-ca planejava vingar-se do gato-to justamente naquele dia-a.
       Como ela sabia que o gato dormia o dia todo, contratou um bando de torcedores com suas vuvuzelas para azucrinar a vida do pobre felino.
       E justamente quando os ratos chiques da França ensinavam Zûlu o famoso ratatui (depois do casamento com dona Baratinha o rato não aguentava mais comer feijão com toucinho...) as vuvuzelas começaram a soar a ponto de derrubar as muralhas de Jericó, a centenas de quilômetros.Zûlu, muito irritado, foi reclamar com a Franscisca (que afinal tem um primeiro nome) e prometeu nunca mais cozinhar para ela.
       A Chica balançou a cabeça e pôs toda a culpa no gato-to que, ao saber da existência dos ratos começou a persegui-los para comê-los com ratatui.
      E o pandemônio ficou quase completo quando os habitantes de Jericó vieram reclamar suas muralhas.
      Mas, graças a Deus, pela calçada vinha passando, em sua caminhada matinal, ninguém menos que Nelson Mandela, que vendo toda aquela agitação convidou todos para fazerem uma passeata.E depois foi para a Índia tomar chá com Ghandi.
 FIM

4 comentários:

  1. Rá Rá Rá Rá Rá!!!!! Essa é a melhor de todas Rá Rá Rá Rá Rá!!!!!! Muito bom!!!!! Super mesmo!!! Como que agente consegue ser tão criativo??? beijo mana!

    ResponderExcluir
  2. rsrsrsrsrsrs
    Tá no sangue, não adianta...Uma vez artista, sempre artista...
    Impossível negar!

    Bjusss

    ResponderExcluir
  3. Lindo seu texto! Adorei seu blog. Depois passe em http://lectandome.blogspot.com
    Abraço,
    Jasanf.

    ResponderExcluir
  4. Meu msn é lectorj@aol.com
    Abraço.
    Jasanf.

    ResponderExcluir