sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Protesto - Mafalda do Santos



Não, hoje não quero saber de flores,
Seus odores
Só sei dos meus cobertores,
Do meu acolchoado,
Dos meus pensamentos abafados
Sobre os horrores dos favelados
Que não têm nem um calçado
P'ra enfrentar este frio
Sua única realidade, seu alento,
 - Único sustento -
Não posso olhar este cravo
 - Tão lindo no seu amarelo -
Se um já morreu congelado
A quilômetros da minha porta...
Não quero! Pouco importa
Essa flor!
Como posso ver nela: amor
Se a cada pétala que desperta
Fico alerta:
E lembro do cobertor?
Por favor, levem daqui essa flor
Não posso sentir amor...
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário