quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Trecho de Livro - Machado de Assis - Quincas Borba

            "Rubião chegou ao fim da rua da Saúde.Ía à toa, com os olhos espraiados e desatentos.Rente com ele, passou uma mulher, não bonita, nem singela sem elegância, antes pobre que remediada, mas fresca de feições; contaria vinte e cinco anos, e levava pela mão um menino.Este atrapalhou- se nas pernas do Rubião.
             - Que é isso, nhonhô? disse a moça, puxando o filho pelo braço.
          Rubião inclinara -se ao pequeno, para ampará-lo.
            - Muito obrigada, desculpe, disse ela sorrindo; e cumprimentou -o.
         Rubião tirou o chapéu, sorriu também.A visão da família apoderou-se dele outra vez. - 'Case-se e diga que eu o engano!' - Parou, olhou para trás, viu ir a moça, tique-tique, e o menino ao pé dela, amiudando as perninhas, para ajustar-se ao passo da mãe.Depois, foi andando lentamente, pensando em várias mulheres que podia escolher muito bem, para executar, a quatro mãos, a sonata conjugal, música séria, regular e clássica.Chegou a pensar na filha do major, que apenas sabia umas velhas mazurcas.De repente, ouvia a guitarra do pecado, tangida pelos dedos de Sofis, que o deliciavam, que o estonteavam, a um tempo; e lá se ía toda a castidade do plano anterior.Teimava novamente, forcejava por trocar as composições; pensava na moça da Saúde, modos tão  bonitos, criancinha pela mão..."

2 comentários:

  1. Adorei o seu espaço sideral! Ele é misto de poeticidade e literariedade... Aproveito para desejar um feliz 2013 e que você desvende os dias misteriosos desde ano ímpar. Abraço fraterno, Jasanf.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heeey obrigada por sua participação aqui \o/ é uma alegria sempre poder ter vc conosco ^^ e obrigada por definir um pouquinho mais o que é esse blog..."espaço sideral" boa!!! Obrigada

      Cap.Purple

      Excluir