quinta-feira, 13 de março de 2014

Maneco Caneco Chapéu de Funil - Luís Camargo




Era uma vez uma escumadeira.
A escumadeira morava numa cozinha onde nunca
se fritava nada.
Nem um nadinha de nada.
A escumadeira cansou de não fazer nada e foi
embora.

A escumadeira foi andando e encontrou uma
concha.
A concha morava numa cozinha onde nunca se
cozinhava nada.
Nem um nadinha de nada.
A concha cansou de não fazer nada e foi embora
com a escumadeira.

A escumadeira e a concha foram andando e
encontraram uma caneca.
A caneca morava numa cozinha onde nunca se
bebia nada.
Nem um nadinha de nada.
A caneca cansou de não fazer nada e foi embora
com a escumadeira e a concha.

A escumadeira, a concha e a caneca foram
andando e encontraram um cabide.
O cabide morava num guarda-roupa onde nunca se
guardava nada.
Nem um nadinha de nada.
O cabide cansou de não fazer nada e foi embora
com a escumadeira, a concha e a caneca.

A escumadeira, a concha, a caneca e o cabide
foram andando e encontraram uma vassoura e uma
pá.
A vassoura e a pá moravam numa cozinha onde
nunca se limpava nada.
Nem um nadinha de nada.
A vassoura e a pá cansaram de não fazer nada e
foram embora com a escumadeira, a concha,
a caneca e o cabide.

A escumadeira, a concha, a caneca, o cabide,a
vassoura e a pá fizeram um boneco engraçado:
o MANECO CANECO.

Maneco Caneco,
cabeça de caneco.
Maneco Cabide,
ombro de cabide.

Maneco Escumadeira,
braço de cabo de escumadeira.
Maneco Escumadeira,
mão de escumadeira.

Maneco Concha,
braço de cabo de concha.
Maneco Concha,
mão de concha.

Maneco Vassoura,
perna de cabo de vassoura.
Maneco Vassoura,
pé de piaçaba.

Maneco Pá,
perna de cabo de pá.
Maneco pá,
pé de pá.

Maneco Caneco foi andando e encontrou um funil.

Maneco Caneco colocou o funil na cabeça e foi embora cantando:

"O meu chapéu é um funil
Um funil é o meu chapéu.
Senão fosse um funil
Não seria o meu chapéu."

Maneco Caneco Chapéu de Funil foi andando e
encontrou um armário com forma de castelo.

O armário tinha duas gavetas embaixo e quatro
portas em cima.

Maneco Caneco Chapéu de Funil abriu a gaveta número um.
Na gaveta número um tinha uma cueca.
Maneco Caneco Chapéu de Funil pegou a cueca e vestiu.

Maneco Caneco Chapéu de Funil abriu a gaveta número dois.
Na gaveta número dois tinha uma camisa.
Maneco Caneco Chapéu de funil pegou a camisa e vestiu.

Maneco Caneco Chapéu de Funil abriu a porta número um.
Na porta número um tinha uma calça.
Maneco Caneco Chapéu de funil pegou a calça e vestiu.

Maneco Caneco Chapéu de Funil abriu a porta número dois.
Na porta número dois tinha um paletó.
Maneco Caneco Chapéu de funil pegou o paletó e vestiu.

Maneco Caneco Chapéu de Funil abriu a porta número três.
Na porta número três tinha uma gravata.
Maneco Caneco Chapéu de funil pegou a gravata e colocou.

Maneco Caneco Chapéu de Funil abriu a porta número quatro.
Na porta número quatro tinha um leitão.
O leitão estava lendo um livro:

"Lá na rua  vinte e quatro
uma mulher matou um sapo
com a sola do sapato."

"O sapato estremeceu
e a mulher morreu.
Urubu-bu-bu quem não sai é um tatu."

Maneco Caneco Chapéu de Funil perguntou ao
leitão:
- Você é um tatu?
- Não - disse o leitão - eu sou o Leitão Leitor.
- Então vamos embora! - disse Maneco Caneco
Chapéu de Funil.
- Eu levo você de cavalinho - disse o Leitão
Leitor.

Maneco Caneco Chapéu de Funil montou no
Leitão Leitor e foram embora cantando. 


2 comentários:

  1. Muito bom, bem nostalgico... Parabéns pela pagina.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada!!
    Este é um dos livros que fez parte da minha formação como pessoa, um daqueles que a gente nunca esquece ^^

    ResponderExcluir