terça-feira, 26 de abril de 2016

Trecho de "Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade", de Berman

"Existe um tipo de experiência vital - experiência de tempo e espaço, de si mesmo e dos outros, das possibilidades e perigos da vida - que é compartilhada por homens e mulheres em todo o mundo, hoje. Designarei esse conjunto de experiências como 'modernidade'. Ser moderno é encontrar-se em um ambiente que promete aventura, poder, alegria, crescimento, auto-transformação e transformação das coisas em redor - mas ao mesmo tempo ameaça destruir tudo o que temos, tudo o que somos..."

sábado, 16 de abril de 2016

Claudio Manuel da Costa, o Árcade Fora do Arcadismo

"Correi de leite e mel, ó Pátrios rios,
e abre dos seios o metal guardado,
os borbotões de prata, e de oiro os fios
saiam de Luso a enriquecer o estado."
(Canto Heroico)








"Competir não pretendo
contigo, ó cristalino
Tejo, que mansamente vais correndo
meu ingrato destino
me nega a prateada majestade,
que os muros banha da maior cidade."

                                    (Fábula do Ribeirão do Carmo)


sábado, 2 de abril de 2016

Enchente - Cecília Meireles


Chama o Alexandre!
Chama!
Olha a chuva que chega!
É a enchente.
Olha o chão que foge com a chuva...
Olha a chuva que encharca a gente.
Põe a chave na fechadura.
Fecha a porta por causa da chuva,
Olha a rua como se enche!
Enquanto chove, bota a chaleira
no fogo: olha a chama! olha a chispa!
Olha a chuva nos feixes de lenha!
Vamos tomar chá, pois a chuva
é tanta que nem de galocha
se pode andar na rua cheia!
Chama o Alexandre!
Chama!