domingo, 12 de fevereiro de 2017

"Vulcanização"

A montanha insiste em ficar lá, parada
até o momento em que o magma
esquenta de novo o coração.
Montanha parada não é montanha extinta.
Venha me irromper,
estou lavada de suor e cinzas,
em erupção,
renascendo,
quente, sólida, explosiva.
Minha fé me move, estática.
Coração de pedra derretido,
voando livre, colorido...
Minhas lágrimas me curam,
sou toda fogo e bico,
eu morro e volto a viver.
Rip Van Winkle batize-me de histórias
para que eu possa me mover,
e explodir,
e recomeçar a me montar.

Resultado de imagem para fênix desenhoResultado de imagem para vulcão  desenhoImagem relacionada

2 comentários:

  1. Curioso pensar, e é do curioso sempre pensar. Se do pó das estrelas nós viemos, daqui a bilhões de anos, quando o nosso sol de cada dia já no final de sua vida começar a se expandir agonizate e engolir todo o sistema solar, seremos devolvidos ao nosso útero e pó das estrelas novamente seremos. Fim. Se nosso destino já está traçado, se do nada viemos e para o nada estamos fadados, qual rumo tomar? Viver uma vida intensa e repleta de desafios, pois a vida é uma só e cada gota de suor derramado vale pela efemeridade deste fenômeno? Ou desistir do que quer que seja, pois não importa o caminho que sigamos, o resultado final como poeira galática será igual? O que nos faz não querermos ser iguais? O que nos faz não desistir e nos levantar do fogo a cada vez que somos queimados?

    M.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que o ideal é encontrar um equilíbrio entre a efemeridade. Viver os desafios da vida sempre que possível, mas sempre refletindo no impacto que esses desafios nos vão causar. Desistir só se for antes de começar. Desistência é frustração. Cada um sabe seu limite de loucura. Se a loucura não é grande o suficiente, é melhor não começar um novo projeto. Mas se a loucura é suficiente e traz bons resultados lá na frente, porque não?
      O importante não é o começo e nem o final, o importante é o meio. Uma vez um sábio irmão e amigo meu me disse que o importante não é concluir os grandes projetos, mas sim fazê-los, edificá-los. O importante é a construção. Se chegamos a um bom resultado no final, que ótimo, sentiremos a satisfação de uma obra bem feita. Se o resultado não for bom, é porque ainda não terminou. O que nos faz renascer das cinzas é compreender que enquanto não chegamos à satisfação plena em nossos projetos, é porque esses projetos ainda não chegaram ao fim. E sabemos que o fim é a morte, ou a poeira galática, se assim preferir. Enquanto não formos poeira, é porque ainda não concluímos nossos planos. A vida é uma eterna construção de sonhos. Por isso, quem não sonha não vive, porque os sonhos nos fazem não sermos mera poeira ;)

      É om ter você por aqui M. Você tem grandes ideias a serem discutidas, que bom que faz parte dessa minestra toda... :D

      Excluir